Super Escolas de Samba S/A

A ironia é que o Império Serrano veio criticando o gigantismo e megalomania das escolas e foi campeão.

Bum bum paticumbum prumgurundum, o nosso samba, minha gente ERA isso aí. Queria ver Ismael Silva explicar o que aconteceu com o samba de hoje em dia. Retornava com a Deixa Falar, tenho certeza! Digo, não a roda de samba, que essa, graças a Deus, ainda é praticada, na medida do possível, de forma natural. Falo do samba-enredo. De todas as transformações que o samba de carnaval sofreu, sem dúvida a que mais deturpou o conceito de escola de samba foi a venda da ideologia e o acesso às lideranças das escolas por gente que não era do meio.

Que é um espetáculo turístico é, e não é um defeito, mas o que o povo da gringolândia vem ver – que é vendido como uma autêntica festa popular – é algo que já foi industrializado e já saiu muito das proximidades de sua tradição. Agora é panfletarismo e só. Veja bem, mesmo que o presidente de uma escola não saque nada de carnaval, ele vai sacar de dinheiro (trocadilho muito involuntário), e é aí que começa o problema, e o exemplo que vou dar (UIA!) nas próximas mal traçadas linhas de HTML, acho.

Candeia, sempre ele na minha influência, escreveu o livro Escola

Livro que enumera cada quesito, o que foi feito e o que poderia ser feito pra trazer a escola e o carnaval pro – e pelo – povo.

de Samba: Árvore que esqueceu a raiz (junto ao amigo e jornalista Isnard Araújo), livro esse, aliás, que me motivou a criar este blog como reserva textual para um trabalho acadêmico, que acabou se tornando minha monografia. Isso só pra você ver o quanto o assunto mexe com minha sensibilidade. O negócio é que esse título não podia falar mais em tão poucas palavras.

Se você contar a linha do tempo e perceber que o livro foi publicado em 1978 e 4 anos depois o Império Serrano me vem com aquele tiro certeiro nas verdades do samba de carnaval. Candeia, junto a outros integrantes da Portela ainda escreveria uma carta-manifesto à presidência da agremiação denunciando que essas atitudes descaracterizavam e desvalorizavam a escola. Entre outras coisas, Candeia protestou contra a chegada de uma figura que passou a ser comumente chamada de carnavalesco, isto é, artistas plásticos, designers, estilistas ou sei lá mais o quê, que mandavam na composição e preparação da escola pra um desfile.

Isso fez com que os verdadeiros integrantes da comunidade se tornassem meros coadjuvantes na festa que deveria ser deles. Cadê as baianas, mestres-sala, porta-bandeiras, ritmistas, você consegue vê-los com algum destaque? Não, o prêmio é todo atribuído ao carnavalesco enquanto o restante da escola é mero instrumento do líder. Super escolas de Samba S/A, porque, por mais que se defenda o ponto de vista da economia, do turismo e até da política (já que há obras, inclusive recentes feitas claramente pra aproximar governo e povão), ainda assim não há explicação lógica que desculpe essa deturpação do valor do samba e do sambista em termos de carnaval. Veja o vídeo abaixo e entenda um pouco melhor:

Metáfora do dia (por Fernando Sagatiba, que surpresa): Sinto-me assistindo a um episódio de Os Simpsons em que Marge e Homer montam uma quadra de tênis em seu quintal, mas ao perceberem que seus vizinhos debocham de sua pouca habilidade, pelas costas, entram num torneio usando seus filhos como parceiros, até que a ânsia de ganhar é tanta que dispensam os filhos e cada um forma uma dupla com um famoso jogador estadunidense. Até que na quadra só há profissionais que nem sabem que aquilo tudo começou apenas como uma brincadeira de um pessoal que queria se divertir com a galera. Ficou apenas o interesse em ganhar sem saber nem porque… ah, tá, tem dinheiro, muito dinheiro envolvido nos patrocínios… Tem as (sub-)celebriddes que vivem da vitrine que o desfile se tornou.

Foi aí que Candeia juntou um pessoal interessado em resgatar a alegria e a cultura do carnaval e nasceu a – já muito citada neste blog – G.R.A.N.E.S. Quilombo. O vídeo abaixo é uma apresentação no Fantástico:

Anúncios

Sobre Fernando Sagatiba

Negro, jornalista, sambista, desenhista, sarcástico e um pretenso auto-proclamado observador da problemática contemporânea. Filiado à UNEGRO-RJ.
Esse post foi publicado em Falando Nisso... e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Super Escolas de Samba S/A

  1. Thiago Jorge disse:

    Amando o seu blog!!!
    lógico que agora sou um seguidor e fã assíduo .
    Thiago jorge.

  2. Thiago Jorge disse:

    já reparou que esse samba de 1982 é a realidade dos dias de hoje? EX: Super Escolas de Samba S/A
    Super-alegorias
    Escondendo gente bamba
    Que covardia!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s