Zeca Pagodinho: Êta, povo pra lutar!

zeca eta povo pra lutar

O que me traz aqui pra falar sobre Zeca Pagodinho poderia até ser chamado de oportunismo, não é por aí. Na verdade, este texto estava sendo preparado um dia antes das fortes chuvas que assolaram Caxias, sobretudo a região de Xerém, devido à sua entrevista a Gabi Gabriela. Eu preparava algumas divagações acerca de Zeca Pagodinho, porque é uma constante em suas entrevistas mais sérias que ele sempre frisa esse seu lado povão e realmente comprova isso com atitudes, sem muita divulgação, deixando claro que esse é seu jeito e não uma jogada de marketing.

Zeca é um dos mais famosos, bem sucedidos e – mais importante nos dias de hoje – autênticos. Todo mundo sabe que ele adora uma cervejinha bem gelada com os amigos e que vende muito, mas muito mesmo em termos de discos e shows. Tá, mas a parte que interessa nesse momento é a surpreendente imagem do “anônimo” Zeca pilotando seu quadriciclo pelas regiões afetadas ajudando o povo da terra que ele tanto enaltece, trazendo sua filha, Elisa, na garupa. Deu entrevista rapidamente e voltou ao batente.

Já virou meme no Facebook, por exemplo, mas fica a lição. Ele sempre ajudou os amigos em termos de gravar composições, a ponto de abrir mão de músicas dele mesmo só pra não deixar um amigo na mão (isso você pode reparar em todos os discos dele, que uma minoria muito rara é que é de autoria do próprio artista). Ele disse na entrevista cedida a Marília Gabriela (maio/2012, reprisada às vésperas do temporal, em 30 de dezembro de 2012), que uma pessoa necessitada é um ser humano, sendo homem ou mulher, pra explicar que a despeito de opiniões maldosas, ele poderia ter o intuito de paquerar. Durante a seção ‘ping pong’, respondendo à pergunta sobre um acerto na vida, ele respondeu “ter ido morar em Xerém”. Preciso dizer mais?

É só ver nas letras que ele canta, mesmo não sendo o autor de muitosogumvencedemanda dos clássicos imortalizados em sua voz, ou mesmo aquelas músicas que só os fãs mais ‘pesquisadores’ (o/) conhecem, suas canções sempre falam do povão, do cotidiano, das coisas da gente que todo mundo se identifica. Enfim, tão bonito é ver que o cara não só divulga suas filosofias, como também as pratica independente de ter reportagem ou plateia. E não acho que ele tinha a obrigação de fazer só porque é famoso, tem dinheiro e vive falando da região, se fosse assim, a Barra da Tijuca e a Zona Sul do Rio teriam a obrigação de serem representantes do primeiro mundo, pela quantidade concentrada de artistas, celebridades e novos ricos que habitam essas localidades.

Parabéns, Zeca Pagodinho, o primeiro meme de 2013, que Ogum continue vencendo demandas de gente que faz em 2013! Axé!

Anúncios

Sobre Fernando Sagatiba

Negro, jornalista, sambista, desenhista, sarcástico e um pretenso auto-proclamado observador da problemática contemporânea. Filiado à UNEGRO-RJ.
Esse post foi publicado em Divagações, Papo Malandro e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s