Enredos biográficos

Não suporto sambas-enredo de homenagem aos camaradas de alguém da escola. Primeiro porque a escola fica dependente do carisma do homenageado, tipo Roberto Carlos, na Beija-Flor, em 2012, e a avaliação do assunto abordado fica em segundo plano. Ainda no exemplo da Beija-Flor, quem se importa em observar o desfile se a população já conhece o cara há tempos? É um enredo fácil em que só precisa ter coerência pra não viajar muito, apesar de que Paulo Barros viajou na maionese com Luiz Gonzaga e agradou. Mas o rei do Baião ainda tem uma relevância cultural que permite um enredo biográfico, mesmo lembrando que a Unidos da Tijuca não contou a história linear, criou uma historinha e foi interessante.

Boni / foto:divulgaçãoO que me trouxe a esse texto foi o samba-enredo mais fraco, na minha inútil opinião, em 2014. Justamente a Beija-Flor, homenageando o ex-todo-poderoso da Globo, Boni (pai do Boninho, atual manda-chuva e jogador de ovos com vinagre). Alguns poucos sambas deste ano estão fraquinhos, mas é uma das melhores safras dos últimos 7 anos, no barato. Aposto muito na Império da Tijuca, Salgueiro, União da Ilha  e Mangueira – nessa ordem –  no que diz respeito a sambas animados, as outras escolas também me agradaram de um modo geral, mas homenagens como essa da Beija-Flor me cheira a malandragem daquelas típicas de quem quer beliscar o imaginário popular, com algo que já está pronto lá.

Por exemplo, Roberto Carlos dispensa apresentações (e o vegetarianismo em nome de um contrato Friboi), então é só citar canções do cantor na letra do samba e fazer uma linha do tempo com fatos relevantes – menos quando cantava com o aval da ditadura, óbvio – que você tem um enredo que já nasce vencedor. Agora, outro nome forte ligado à Rede Globo, onde a escola de Nilópolis está toda hora, sendo a voz do intérprete na vinheta de carnaval, seja a bateria tocando no Big Brother Brasil, seja fazendo um painel da vênus platinada para o Brasil dentro de sua própria janela. Não gosto, não gosto.

Vai ser um desfile da Globo e, como ela alcança 99,9% do Brasil, ou a princesa nilopolitana dança de verde-e-amarelo, ou vai ser campeã de novo no rastro do carisma do homenageado. Como o homenageado é da emissora que adora a Beija-Flor – sem contar a competência da escola – acho que consegue algo, mas sob meus protestos.

Anúncios

Sobre Fernando Sagatiba

Negro, jornalista, sambista, desenhista, sarcástico e um pretenso auto-proclamado observador da problemática contemporânea. Filiado à UNEGRO-RJ.
Esse post foi publicado em Falando Nisso... e marcado , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Enredos biográficos

  1. Não enrendo de uma escola de samba sobre o boni, pai do boninho do bbb bosta, boninho só coloca loiras lindas, brancos maravilhosos, alguns letrados, com boa ocupação, negras salvo 1, 2 ou nenhuma, e quando são colocadas, meus Deus, são essas negras que o povo que da ibope a esse programa esta vendo, lembro uma que tristeza, apareceu numa propaganda cantando inglês, não assisto o programa, só assisti o 1o.. Os seguintes vi pelas propagandas, os homens negros são os primeiros a sairem num paredão, li num site que um rapaz negro teve até a carreira de modelo comprometida, por ter sido acusado de estrupo. Voltando a esse boni, dentro da sua emissora acobertou a ditadura, deu início a nossa quase total exclusão na grobo, quase, porK algumas vezes mulheres negras eram empregadas domésticas, ou tinham outras funções quase insignificantes, muito do K acontece hoje com prisões dos Vinícios Romãos da vida, e as Cláudias arrastadas, tem haver como a maneira como somos vistos na midia, ou seja, somos vistos como ZÉ NINGUÉM, isso significa tratamento diferenciado, CADEIA SEM PROVAS CONCREATAS, ARRASTA, não é do Leblom, não é da Barra. Pra mim, é uma vergonha escola de samba prestar reverencia a este tipo, lembrando eu a origem do samba, e quem trouxe as escolas pra rua, é o mesmo povo que eles querem tornar brancos, aliás, aguardem, quanto mais popularidade e dinheiro, estrangeiros, o grupo especial incorporar, trouxer para o Rio menos negros teremos, observem isso já está acontecendo, vai ter um dia que os únicos componentes de escola de samba, serão os puxadores de carros alegóricos, vide as musas e as rainhas de baterias, e as beldades que ganham close no dia dos desfiles, e no dia seguinte saem nas páginas das revistas e sites, AGUARDEM ISSO VAI ACABAR ACONTECENDO, negro em escola de samba nem na velha guarda.

    • Nilda, Candeia já falava sobre essa coisa de o negro ter criado o samba e estar de fora da organização, apenas na hora de fazer o que foi mandado. O enredo foi sugestão do presidente da Beija Flor – Anisio Abraão Davi – que é amigo pessoal do global.

  2. escrevi errado: É NÃO ENTENDO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s