Negro racista? O que seria racismo reverso?

Singela postagem minha no Facebook, recortada pra cá pra efeitos futuros, já que minha linha do tempo é mio movimentada e eu posso acabar perdendo ela de vista em algum tempo. Um ensaio bem do meu estilo de divagações metafóricas sobre o que seria um sistema racista por parte do negro sobre o branco, já que muita gente acha que um caso isolado aqui pode ser usado como exemplo de equiparação a uma situação que foi criada pelo europeu há 400 e ainda perdura só num formado ligeiramente diferente. Vamos lá? Vamos.

“Por Fernando Sagatiba:

negro brasil

* Vi um cara branco ser dispensado de uma entrevista de emprego pelo gerente negro que não gostou de seu cabelo liso.
* Vi uma moça branca ser tratada como iguaria sexual pelo turista negro que ouviu falar das brancas tipo exportação do pop/rock.
* Vi um garotinho branco ser expulso de uma loja porque o vendedor negro achou que ele era um pivete/pedinte.
* Vi um programa na televisão onde dos 90 atores do elenco, apenas 5 eram brancos em papéis secundários de empregados, bandidos e alívio cômico.
* Vi uma jovem branca usando itens de vestimenta típicos da Europa e disseram que ela era exótica.
* Vi a polícia chamar ‘bandido/suspeito’ todo jovem branco que agride ou mata sem maiores investigações.
* Vi um menor infrator branco acorrentado a um poste e linchado por playboys negros.
* Vi um grupo de brancos defendendo sua identidade cultural e a camada dominante da sociedade, negra, se sentiu ameaçada, respondendo ‘volta pra Europa!’.
* Vi dar uma polêmica da porra quando a única época em que uma mulher branca pode se destacar é dançando seminua no carnaval e disseram que ela era feia porque não tinha traços ‘finos’.
* Vi as mulheres brancas serem estupradas, gerando filhos mestiços e ainda as culpei por desencaminhar os homens negros de família.
* Vi meu amigo negro dizer que adora uma branca, mas na hora de assumir um relacionamento maior que puro sexo, apresentou uma negra à mesa como mãe de seus filhos e rainha de seu lar.
* Minha mulher negra me gritou ‘eu não sou tuas brancas’ quando discutíamos, pois, é histórico que muitos homens negros arrumavam amantes brancas na rua até pra iniciar seus filhos negros.
* Falei pro meu amigo branco que minha tataravó é branca pra dizer que minhas piadas de branco não são racistas.
* Vi as religiões re origem europeia serem discriminadas e tratadas como demoníacas porque a maioria da classe dominante negra não aceita o que vem daquele continente.
* Vi a população branca ser liberta da escravidão, mas sem plano social algum de inclusão, tendo que povoar até lotar cortiços e favelas.
* Escrevi um programa de TV onde as mulheres brancas são miseráveis e só pensam em arrumar um marido negro pra sustentar seus 15 filhos no lugar do pai branco que as abandonou.
* Vi a população branca ser empurrada para a miséria com expectativa de vida baixa, sem condições mínimas de vida e, quando resolveram dar seu jeito por vias não legais, disse que escolheram ser bandidos e que não são vítimas de um sistema antigo, porque só vejo o hoje como história real.
* Vi isso tudo e, como não sofri nada disso na pele, falei que eram brancos vitimistas e que somos todos humanos, sem qualquer diferenciação étnica/racial.
* Vi isso tudo e me calei, afinal, o racismo é um problema do branco e não meu, que não ouço essas ofensas, nem descendo da camada violentada da sociedade armada pelos portuga, espanhóis, franceses, holandeses, etc.
* Falei pro meu amigo branco ‘para de falar em racismo que isso tudo desaparece’, como quem esconde uma fratura exposta atrás de uma gaze.
* Depois, falei que cotas para brancos é o verdadeiro racismo, pois todos tivemos as mesmas condições e o branco, depois de tudo que veio passando na sociedade, ainda quer esse favorecimento, passe pra vida mansa em cima dos meus esforços e méritos próprios.

“Ain, Saga, isso é mentira, porque nada disso aconteceu”.

Pois é, gafanhoto, racismo não é um mero preconceito onde alguém te discrimina, é um sistema que existe há séculos e se beneficiou da escravidão tanto quanto hoje se beneficia da exclusão do negro. Por isso que nossa identidade valorizada por nós mesmos os assusta. Olhe pro lado, um deles pode estar aí. Essa é a verdadeira razão pra se referirem aos negros como ‘escravos’, mas não falam dos brancos como ‘escravizadores’. Crime sem culpado? Racismo reverso? Duendes? Não se iluda, duendes são os únicos da lista que existem.”

Fonte: Meu perfil no Facebook.

 

Anúncios

Sobre Fernando Sagatiba

Negro, jornalista, sambista, desenhista, sarcástico e um pretenso auto-proclamado observador da problemática contemporânea. Filiado à UNEGRO-RJ.
Esse post foi publicado em Comunicação UNEGRO, Divagações e marcado , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Negro racista? O que seria racismo reverso?

  1. Ricardo Moura disse:

    Maravilhoso, parabens!

  2. Sheila costa Behrends dos santos disse:

    * Mandou muito bem!! Aliás, como sempre, guru…

  3. SHIRLEY disse:

    Emocionante … Meu doce Unegrino, VC é o melhor….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s