Vitrola de Ficha: Mutirão de Amor (Jorge Aragão)

Vamos ser diretos: Natal é sobre a religiosa concepção católica de que Jesus Cristo nasceu, trazendo sua mensagem divina de amor, paz, perdão e fazer o bem sem olhar a quem. Bonito, não é? Sim. Mas sabe o que é bem feio? Deixar esses sentimentos benevolentes (pra quem dá e pra quem recebe) só pra essa época de fim de ano.

 

Na bela composição de Jorge Aragão (em parceria com Zeca Pagodinho e Sombrinha), a letra é um manual do bom ser humano. Pra ser sincero, acho que só essa mensagem já bate qualquer demagogia. E não tem ocasião direcionada. Eles apenas falam em distribuir amor onde formos que isso se multiplica. Nem vou enrolar, fique com o vídeo, abaixo, sobre a mensagem que citei. E, pra provar que é natal, também tem a ver com esse bom velhinho, rechonchudo, de barba branca, sorridente e que nos faz sentir bem e inspirados com sduas mensagens de bondade. Sim: Papai Noel Jorge Aragão! (Rá!)

Proponho aqui, não um mutirão de amor, porque isso, Aragão e Zeca já fizeram na bela canção, mote deste humilde texto, mas uma reflexão pra tirar o vício de só ser legal e tenro no natal: Jesus teria nascido a 25 de dezembro, né? Pois bem, nosso calendário é uma criação romana, um império europeu e não judaico, como a origem de Jesus. O calendário conta do nascimento de Cristo, ou seja, 2017 anos atrás. Só que os anos, no nosso calendário gregoriano (romano) começam em 1º de janeiro e não em 25 de dezembro.

OPA!

Uai! Se o calendário conta do nascimento de Cristo, como o ano não começa no seu aniversário? Calma, que eu explico: Existem inúmeras influências de outras culturas em cima do que conhecemos como natal, como comércio, crenças pagãs, conveniências governamentais/religiosas, interpretações ideológicas e muito mais. E, sendo assim, nunca saberemos a data exata de nascimento de Jesus, até porque, José – nem deus – fez selfie alguma pra postar no insta com data nem localização… Então, faça seu mutirão de amor pessoal, com seu pessoal a qualquer hora do ano.

Deixar pra propagar mensagens bonitas de amor e fé só porque a tradição da data pede é como dar sopa aos desabrigados no natal e atravessar a rua quando vê um no resto do ano. Aquele amor forçado, sabe? Como diria uma tradição de fim de ano da minha infância, o filme ET: Seja bom!

Anúncios

Sobre Fernando Sagatiba

Negro, jornalista, sambista, desenhista, sarcástico e um pretenso auto-proclamado observador da problemática contemporânea. Imperiano de fé praticante. Filiado à UNEGRO-RJ.
Esse post foi publicado em Tesouros do Samba, Vitrola de Ficha e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s